-ANTESEALÉM-

Ela veio em um sonho
Do inesperado dentro do inesperado
Como um pássaro balançando a copa das árvores

Ela é como eternizar a Lua e o Sol dentro de um só dia
Uma ninfa costurando o perfume no seio de um bosque esquecido
É a poesia encarnada saltando sobre os campos, o nascer de uma orquídea

Pois eu a vi levantar de um lago índigo ao sopé de um suspiro
E o entrelaçar de seus cachos ao redor desta margem
O levante das águas e o nascer de duas infinitudes estrelares
Foi como ser e não estar, como sorrir e chorar

Talvez algum dia eu possa transformar os meus pulmões em pincéis
Posso beijar o seu rosto mais uma vez e abraçá-la por completo
Já não há maneira de senti-la que sacie esta sede, ou que me alforrie desta fome
Não surgirão encontros que eliminem esta saudade
Pois já a sinto muito antes de nascer

Estou queimando de dentro para fora e não posso interferir
És como um vendaval, tempestuosa benção
Já posso sentir os anjos nos invejando na estrela mais próxima, sim, posso
E se houver um fim, irei costurá-lo ao início
Sugarei o mundo para dentro de nós dois
E nos trancarei no canto de um olhar

Cuide-se, querida
Sinto que o mundo vai acabar



Leave reply

Back to Top