MY DEAR.MOON

Mas nossas unhas se perderam por nossas peles e
O tempo recolhe as memórias que ainda não foram juntas ao reflexo do teu rosto.
Zunidos poluem este enredo
Unido por amor, paixão e medo.

Nossas bocas são as chaves que não se encaixam,
Os códigos que desabotoam nossas vestes.
Juntos somos uma fonte de sangue e fúria.
Dentes rangendo em dor e luxúria...

Um escanção por nos provar pode dizer quantos anos nossas marcas têm?
Criamos opérculos sobre brânquias que não nos permitem respirar, enquanto
Naufragamos nesta lacrimal maré
que nos confessa um futuro regado por livros, romance e café.

Quem poderia assinar a autoria desta névoa, ma chéri?
Somos o eterno farol escarlate a brilhar para nós mesmos.
E se antes desta expectante vida lhe questionarem como esta linha continua,
Aponte para o céu; risque as nuvens, as estrelas, e a lua.





Leave reply

Back to Top