-OBAILEDOSSORRISOSSECRETOS-

Gélidos vampiros sob o luar da noite quente
Sugam o néctar dos pulsos fortes do jovem Eros
O cálice veste um fino tecido cerúleo
Enquanto o athame escarlate risca seios e ventre

Assim como um vinho de tempos imemoriais
A saliva embriaga os dançarinos ressumados
Em um baile secreto ao som de gemidos
Onde passos os levam profundamente ao mesmo lugar

Os caninos assinam o poema escrito sobre a luxuriosa pele
Sem a métrica de valsas poéticas
O rítmico escambo se envolve em sublimes tons
Ao decorrer da atritante caminhada à suprema alacridade

As colunas se envergam em inebriantes horripilações
Carníferas marcas nas retorcidas nucas
Notificam o lascivo encontro inolvidável
Desta díade inigualável




Leave reply

Back to Top