Documentos do Dr. Sergioeinstein #1

Documentos do Dr. Sergioeinstein
PACIENTE: GRIMACE, Juli

                Um dos primeiros casos que tive o desprazer de acompanhar, foi o da senhorita Juli Grimace. Quando a conheci, eu ainda tinha o fulgor da juventude e não possuía muito mais que um diploma e algumas boas recomendações. Pois ocorreu que ao final de um dia cansativo no hospital, ajudei a salvar a vida de Juli, que mais parecia ter sofrido um acidente automobilístico. A senhorita Grimace perdia muito sangue em decorrência de ter tido os seus pés arrancados - até então - de maneira desconhecida. Logo, a moça foi atendida e sua vida foi salva depois de algum tempo de trabalho. O caso, aparentemente corriqueiro, não riscaria minha memória se não fosse o fato de que Juli havia sido a única culpada pela perda de seus pés.
Constatamos assim que a jovem voltou a si, sem os pesares da dor, que a causa do problema era o horror que ela possuía por pés. A repulsa havia chegado em um nível tão alto, que a decisão de se auto mutilar logo pareceu razoável para a senhorita Grimace, que enfiando suas pernas em um moedor de cana, teve seu objetivo alcançado. A massa de carne destruída não pôde ser recuperada pelos médicos.
A ojeriza da moça tinha por fonte um distúrbio psicológico, que foi gerado pelo fato de Juli não conseguir sentir os próprios pés, dado uma disfunção nervosa qua a acompanhava desde o nascimento. A senhorita Grimace acreditava não somente que seus pés não faziam parte de seu corpo, como também que o mesmo acontecia com toda a humanidade.
Após dada a alta, tive o imenso desprazer de ter que acompanhar o tratamento de tão anormal ser humano, que além do distúrbio psicológico, também possuía um incrível poder de persuasão. Digo isto, pois, três dos cinco psiquiatras que trabalharam com o caso, foram convencidos por Juli de que os pés eram realmente parasitas.  Destes três, um morreu por perda de sangue após se mutilar. O outro, na verdade uma recém médica, se tornou a maior atleta para-olímpica da história. O terceiro se arrependeu da ideia assim que arrancou o pé esquerdo. Meses mais tarde, ele iria assassinar a senhorita Grimace usando uma perna de pau.
Dos dois psiquiatras que não foram convencidos de tão absurda ideia, um escreveu o livro A Síndrome de Lardaum, que aborda o caso de Juli. O outro, entrou recentemente com um processo contra o anteriormente citado. De acordo com a acusação, os estudos não são de autoria de Lardaum, mas sim do segundo médico a trabalhar com a senhorita Grimace. Logo, o problema de Juli deveria ser chamado de “síndrome de Rowbadu”. O que nenhum dos dois descobriu, é que a solução para o problema era um bom par de meias e sapatos bem amarrados.


OBS: Alguns pés são tão feios que geram distúrbios mentais irreparáveis por chinelos ou sandálias.

Leave reply

Back to Top